Número total de visualizações de página

sábado, 16 de Junho de 2012

Jaguares

Na foto da Porta do Sol, nos Andes da Bolívia, vemos a representação do Jaguar, que serviu de modelo para a que usamos no Vale do Amanhecer.
O Jaguar, assim chamado o médium do Amanhecer porque porta a força da Terra, é burilado, por seu trabalho na Lei do Auxílio, como uma pedra tosca que se transforma em fulgurante diamante, tornando-se uma espada viva e resplandecente a brilhar por todo o Universo, mestre da manipulação mediúnica, preparado para libertar da orbe terrestre um grande número de espíritos sofredores e para evoluir a Humanidade, preparando-a para a Nova Era.
Sempre atento, sempre alerta, o Jaguar é a força viva da Doutrina do Amanhecer, onde aprende a amar ao próximo como a si mesmo, respeitando a vida de cada um, sem julgamentos e sem preconceitos, na certeza de que aquele que cumpre suas obrigações com as pessoas que o cercam, que tem um comportamento harmonizado, dentro da conduta doutrinária, com amor em seu coração, se sentirá feliz e realizado.
Tia Neiva estabeleceu a lei do Jaguar: ver, sentir e ouvir! Ensinou, também, que o Jaguar não precisa se preocupar em formar suas opiniões, porque já tem a sabedoria de seus mandamentos: amor, tolerância e humildade.
Todavia, aquele que não assimila os ensinamentos, vivendo no mau-humor, inconformado e revoltado, mergulhado na inveja e no ciúme, emitindo baixas vibrações, incomodando todos com suas queixas e agressões, certamente não se realizará nesta Corrente, pois que Doutrina poderá existir nele? 
Por isso temos que ter presente, em nossas mentes, que “muitos serão chamados, mas poucos os escolhidos”, pois nem todos que estão na Doutrina são Jaguares, nem todos os Jaguares estão na Doutrina.
Jaguares são cerca de trinta mil espíritos que vieram de Capela (*), em missão redentora, para a Terra. Aqui haviam sido formadas as civilizações Equitumans (*) e Tumuchys (*), por espíritos encarnados que eram verdadeiros deuses. Reencarnaram como Jaguares. Construíram cidades e monumentos, transmutaram metais e usaram uma espécie de pincel atômico com que esculpiam com perfeição os mais duros metais e as pedras, ao mesmo tempo que emanavam estes materiais com poderosa energia.
Mas foram decaindo e perdendo seus poderes, de tal forma assimilando o Mal e se afastando do Bem que chegaram a Esparta, onde a encruzilhada final se apresentou: ou a retomada de uma jornada evolutiva ou a destruição total e final daqueles espíritos.  Alguns não tiveram mais oportunidade, e foram desintegrados. Mas a maioria começou sua recuperação, lenta e sofrida, através dos séculos e de muitas civilizações, retomando o caminho de volta às suas origens - Capela.
Quando em uma encarnação, sob a liderança de Oxalá (*), que recebeu o título de Jaguar por sua valentia e poder, um grupo desses espíritos já estava bem adiantado, formando as civilizações das Américas e do Egito, tendo florescido o progresso espiritual em Omeyocan (*) e na Ásia e na África. Mais tarde, na era das grandes descobertas, aconteceria, na civilização Inca, no Peru, a última reunião de Jaguares com a presença física de Oxalá, então como Pai Seta Branca (*), liderando espíritos que hoje nos iluminam como Grandes Ministros de Deus - Janatã, Ypuena e outros.
Assim muitos evoluíram rapidamente, e passaram a ajudar seus irmãos nesta longa subida. Por último, já no Brasil Colónia, tivemos o fenómeno do Africanismo (*), com Pai João de Enoque e Pai Zé Pedro liderando a falange de espíritos de Jaguares que, junto com as Princesas e outros espíritos que vieram se purificar na escravidão, trabalham connosco, como Pretos Velhos, nos ajudando a percorrer nosso caminho de volta, por nossa dedicação na Lei do Auxílio.
Nossa trajetória cobre toda a História da Civilização, e aqui estamos, mais uma vez reunidos, na transição para a Nova Era.
Pelo livre arbítrio caímos, pelo livre arbítrio temos que nos erguer, caminhar e chegar ao nosso destino. Contamos com a imensa ajuda daqueles que já se libertaram da Terra, e no amor incondicional permanecem junto a nós, como Mentores Iluminados, nos guiando na difícil marcha.
Nossa união foi feita por Tia Neiva, nesta última etapa, trazendo até os Jaguares remanescentes a Luz da Doutrina, a Nova Estrada do Caminheiro, o Caminho de Jesus. Revivendo Cristo, Tia Neiva buscou colocar no coração ainda selvagem de cada um de nós a Chama da Vida, alimentando nosso espírito com amor, tolerância e humildade.
Almas humanas, dotadas de livre-arbítrio, somos o solo metafísico, humano, em que se faz o plantio das sementes – os ensinamentos de Jesus. Não há como saber a diferença, previamente, dos bons e dos maus solos. Por isso todos recebemos essas sementes divinas, cuja receptividade irá depender de cada um de nós. A semente é a mesma para todos nós; e pelo nosso livre-arbítrio ela produzirá muito, pouco ou nada.
Portando as forças das 21 Estrelas, com seu desenvolvimento e conduta doutrinária, com poderes para manipular forças extra-etéricas, profundo conhecedor das leis universais, o Jaguar preparado é seguro de sua missão, sabe decidir o quê, como e quando fazer, e não precisa de exteriorizações e nem de se justificar a ninguém.
A Espiritualidade Maior sabe que não pode contar com seres perfeitos nem santos nesta missão em que estamos envolvidos. Todos nós, Jaguares, somos espíritos com jornadas milenares, e somos usados de acordo com a capacidade de cada um, pelo que de boas vibrações e ações podemos oferecer a nós próprios e aos nossos irmãos encarnados ou desencarnados. Nossos Mentores e nossos Guias sabem das nossas limitações, e não exigem nada que supere nossas condições de satisfazer às realizações dos trabalhos que nos forem confiados. Nós é que temos que nos esforçar para melhorar nossa conduta doutrinária, nossos conhecimentos e nosso padrão vibratório, buscando o amor, a tolerância e a humildade em tudo que fizermos, pensarmos e falarmos.
Aprendemos a nos conhecer melhor intimamente, a percebermos nossas falhas e nossos menores deslizes, procurando não julgar e nem prestar atenção às faltas de nossos irmãos. Se as percebermos, vamos evitar críticas ou censuras e tentar ajudá-los em suas correções.
Vamos aprender a tirar lições proveitosas de nossas dificuldades, dos fracassos e das desilusões. Tudo isso só nos faz crescer, em experiência e sabedoria, pois são testes e provações do nosso aprendizado, servindo para nosso aprimoramento e também para que possamos nos corrigir dos erros que persistem em nós.
Nesse desenvolvimento permanente do nosso espírito, erramos sem saber, por um desconhecimento que permaneceu em nosso íntimo, até que chega o momento de enfrentar uma situação de esclarecimento. Prosseguimos, então, sem culpa nem remorso pelo que fizemos, aprendendo com nossos erros e sempre buscando melhorar. Lembre-se, sempre, de que nossa vida é permanente aperfeiçoamento na Escola de Jesus.
Junto aos espíritos dos Jaguares, muitos vieram, de outras origens, porém participando dessa Luz, desses ensinamentos, e, embora não sejam Jaguares em espírito, se tornaram Jaguares pela força de seu amor e pela dedicação às suas missões.
“Quando o discípulo está pronto, então o Mestre aparece!” Estamos conscientes de que não vamos descobrir Deus! Esperamos que, com nossa dedicação à Lei do Auxílio, com nosso bom direcionamento de nosso livre arbítrio e com o acervo de nossos conhecimentos possamos ser descobertos por Deus...
De acordo com seu merecimento e pela grandeza de suas ações, Jaguares ou não receberão suas recompensas da Espiritualidade Maior, na força do Amor Universal de Deus Pai Todo Poderoso!
“Querido filho, Salve Deus!
Meu filho, você é um espírito espartano, que traz consigo o dinamismo e o preparo necessário para a Nova Era. Conheço muito bem os caminhos que você está percorrendo. Anime-se, pois as coisas vão mudar muito e você alcançará a realização pessoal.
Os dias de hoje estão exigindo muito de cada um de nós. Tudo está acontecendo muito depressa, no mundo e em nossas vidas cármicas. Passada esta fase difícil e conturbada, tudo será tranqüilidade e paz. É necessário muito equilíbrio e manter sempre harmonizado o Centro Coronário, para que o seu Sol Interior brilhe mais e você, mesmo em meio às dificuldades, possa irradiar sua força e seu amor no auxílio e na caridade.
Filho, não temos tempo de nos deter em nossos problemas e, sim, olhar mais além, porque há tantos com dificuldades e sofrimentos ainda maiores. Você é filho de Pai Seta Branca, é um Mestre, e isso implica total entrega de si para ajudar ao próximo, não esquecendo de suas responsabilidades materiais.
Filho, vamos coordenar todas as nossas energias para nos sentirmos úteis e inteiramente realizados.
Eu estou com você, partilhando de todas as suas ansiedades e, com muito amor, tenho pedido por você em meus trabalhos. Confie e ame muito os nossos Mentores, que sua paz estará sempre garantida.
Com amor da Mãe em Cristo, Tia Neiva” (dez/1977)
“Dias luminosos, de grandes acontecimentos e manifestações, estão se aproximando de nós, a velha tribo Espartana.
Conservando a nossa individualidade, vamos, unidos em um só pensamento, por este Universo tão perfeito, impregnando o amor, a fé e a humildade de espírito em todos os instantes.
Somos Magos do Evangelho e, como espadas luminosas, vamos transformando e ensinando, com nossa força e conhecimento, àqueles que necessitam de esclarecimento.
É somente pela força do Jaguar, nesta Doutrina do Amanhecer, e na dedicação constante de nossas vidas por amor que podemos manipular as energias e transformar o ódio, a calúnia e a inveja em amor e humildade nos corações doentes de espíritos que permanecem no erro.
Quantos se perdem por falta de conhecimento e por não terem a sua Lei.
Nós temos a nossa Lei, que é o Amor e o Espírito da Verdade. Vamos amar e, na simplicidade de nosso coração, distribuir tudo o que recebemos, na Lei do Auxílio, aos nossos semelhantes.
Somente a vontade de Deus nos tem permitido afirmações tão claras nesta passagem para o Terceiro Milênio.
Somos a força do Sol e da Lua; somos um povo esclarecido e temos, em nosso íntimo, o Amor e o Espírito da Verdade.
Temos o poder em nossas mãos e assumimos o compromisso de fazer de nossa missão o nosso sacerdócio, pleno de amor - o pão que alimenta nossos espíritos e nos dá a vida é a força doutrinária.
Temos o poder mas, para sermos úteis e eficientes, é preciso que tenhamos equilibrada e firme a nossa mente e cultivemos a humildade.
Vamos levar mais a sério o nosso compromisso e busquemos sempre, em nossas origens e em nossas heranças, a energia e a segurança, para que possamos seguir com perfeição a trajetória que escolhemos quando assumimos vir a este Planeta para redimir as nossas culpas e débitos contraídos em outras encarnações.(...)
O Homem equilibrado é a Presença Divina na Terra, realizando, com sua mente sábia, uma constante conjunção de dois planos, levando sua vida na simplicidade e disponibilidade, a iluminar com seu trabalho espiritual constante. (...)
Com nosso trabalho espiritual podemos nos evoluir e dar  tudo de nós.
É curando as dores de nossos irmãos que curamos as nossas dores e sofrimentos.”   (Tia Neiva, Carta Aberta n. 7, 9.4.78)
“Aqui temos a demonstração do verdadeiro significado da mente sobre o extrasensorial.
Governamos a mente e as emoções, alteramos, revolucionamos e modificamos as chamas vitais.
Sim, filho, já nos desenvolvemos através das sete Raízes.
Tudo isto parece muito distante de teu alcance. A realidade é o Jaguar, que está trazendo para mais perto a visão de um quadro total. O Jaguar, o Homem que foi individualizado em dezenove encarnações.” (Tia Neiva, 21.11.81)
Meu filho, essa é a hora precisa, a hora do Jaguar, missionário para o esclarecimento e a iluminação nesta passagem de Era.
O mundo inteiro se volta para nós, angustiado e sofrido, buscando força, luz e esclarecimento, e, na obscuridade de suas vidas, os homens procuram clarear suas mentes e aliviar suas dores.
É preciso, filho, que a cada instante estejamos equilibrados e possamos dar tudo de nós aos nossos semelhantes que, aflitos, nos procuram, buscando a tranqüilidade e a paz, a cura espiritual e material, e o reconforto de seus espíritos.
Sei, filho, que você tem percorrido caminhos difíceis e que dores e angústias dilaceram sua alma. Esteja tranqüilo, pois estou sempre com você e pedindo, em meus trabalhos, a Jesus que alivie seus sofrimentos e que você se realize, sinta as alegrias espirituais e possua, em seu íntimo, a verdadeira paz!
Vamos, filho, esquecer as nossas dores, e voltar nossa atenção para nossos irmãos que sofrem mais do que nós. Só assim poderemos saldar todos os nossos débitos e aliviar nossos momentos cármicos.
Busque, em suas heranças, as forças e as energias necessárias para o cumprimento perfeito de sua tarefa nesta jornada.
Que Jesus esteja sempre iluminando sua mente e seu coração para que, em todas as horas, possa ser o medianeiro, curador nesta Era tão cheia de angústias e depressões.
Vamos iluminar, deixando que a Luz do nosso Sol Interior se expanda, ajudando a todos os que de nós se aproximarem.
Jesus e Pai Seta Branca o abençoem e protejam!   (Tia Neiva, 11.12.81)
Meu filho, a nossa vida na Terra é cheia de sofrimentos e dificuldades, e somente pelo amor e pela tolerância é que podemos aliviar nossos momentos cármicos e de evolução.
Tranqüilize-se, pois estou realizando trabalhos em seu benefício, para que sua vida seja mais tranqüila e possua, em seu íntimo, as alegrias espirituais.
Jesus e Pai Seta Branca o protegem e estão sempre com você, dando-lhe as forças necessárias para que possa levar, com otimismo, todos os seus momentos difíceis e seja, assim, mais feliz.
Não se perturbe nem se deixe levar pelo desânimo, pois todas as nossas dores e sofrimentos são passageiros e, em seguida, vem a nós a suavidade da Paz, tão necessária ao nosso espírito já cansado de tantas lutas e dias sofridos!
Procure ter muita paciência e, sobretudo, muito amor, pois somente assim poderá alcançar a segurança, o equilíbrio e a tranqüilidade em sua vida. É somente pelo amor que vencemos as batalhas que travamos, às vezes conosco mesmo.
Lembre-se sempre que seu vizinho, seu semelhante, é sua grande oportunidade de evolução.
Saiba colher estes ensinamentos e os cultive com amor, para que tenha a verdadeira Paz e tranqüilidade espiritual!
Jesus esteja sempre em sua mente e em seu coração. (Tia Neiva, 2.2.82)
Por que foi escolhido o Jaguar, o Espírito Espartano, o Cavaleiro Verde, o Cavaleiro Especial?
Porque vem de um processo penoso, por sua mente científica, evoluindo na luta através dos séculos, neste mesmo solo...
Hoje, sua percepção lhe afirma, filho, que os tempos chegaram e não há mais como desperdiçá-lo com polêmicas.
Vocês têm a sensibilidade do Homem Iniciado, que descansa apesar da grandeza da luta, e é acariciado pela grandiosidade da energia trazida pelo prana, para retirar seu psiquismo particular e responder às perguntas que surgem do fundo de seu coração.
Esse Homem é fácil de encontrar. É grosseiro e sagaz, sim, porque vem das cordilheiras e da península espartana, porém, não suporta ver alguém sofrer, sai, aflito, a socorrer todos... É amável, requintadamente afetuoso, sensível às dificuldades de povos. Sempre estende sua mão forte e corajosa para a missão maior, e seu amor é expontâneo. Caminha sem superstições e sem falsos preconceitos.
Quando é um Jaguar, ama verdadeiramente a Doutrina e a faz seu sacerdócio; acredita na vida e sabe se promover. É boêmio e sua mente é limpa de qualquer crença que não seja autêntica consigo mesmo...
Sabe que a última grande iniciação da humanidade ocorreu pela aparente espontaneidade, unificando e aproximando o Homem de sua individualização e que, por todo o universo, o Homem está sendo sacudido no fundo de seu ser, de maneira autêntica e poderosa. (Tia Neiva – Anotações Diversas, s/d)
 

quinta-feira, 7 de Junho de 2012

Passe Magnético


O Passe Magnético não tem contra-indicações! É dado para aliviar o plexo, dele retirando todas as impregnações pesadas.
  O Doutrinador, em pé, atrás do receptor, devidamente posicionado com as mãos sobre os joelhos, palmas voltadas para cima (salientando que está ali para receber - sem ter as pernas cruzadas), abre seu plexo, eleva seus braços, entrelaçando as mãos no alto enquanto emite a chave: “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!”. Vira as palmas das mãos para cima e desce os braços até ao plexo do receptor; sobe com as mãos ainda entrelaçadas na testa do receptor e toca suavemente, passa então para as suas costas, na altura da onde estaria a “ponta da cruz do colete de doutrinador”, onde dá três toques firmes, mas sem empurrar o receptor; volta as palmas das mãos para o plexo e descarrega junto ao corpo com as palmas voltadas para trás. Trino Araken deixava claríssimo a necessidade de voltar as mãos ao plexo.

Não existem as “limpadinhas” na aurea feitas depois, e estranhos toques feitos no ombro.

Também não se devem “distribuir os empurrões pelas costas”, fazendo um no meio, e os outros, um em cada canto. Os três são no mesmo lugar!

Não existe “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo” a cada movimento.
 O Passe Magnético faz parte de um rito iniciático e não se deve agregar nada mais.

Nossa doutrina segue uma orientação Iniciática e qualquer invenção que venha a descaracterizá-la só serve para gerar vibrações ou induzir ao erro.

OS SETE PASSOS DE UM PASSE MAGNÉTICO:

1º Passo – Plexo - Mão esquerda sobre a direita. Abrimos nosso plexo em busca das forças espirituais.

2º Passo – Chave – Partimos erguendo os braços e emitimos a chave “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”, estendendo os braços completamente, entrelaçando as mãos logo após emitir a chave, trazendo a energia projetada para se ligar à energia do nosso plexo, envolvendo-a no entrelaçar das mãos. Então voltamos as palmas das mãos para cima. Importante: não partimos com os “braços abertos” como se envolvêssemos a aura! Os braços são erguidos diretamente como na Elevação.

3º Passo – Plexo - Descemos até ao plexo solar do receptor, sem tocá-lo, formando a perfeita integração de forças: positivo – espiritual – negativo.

4º Passo – Testa - Leve toque na testa do receptor. Promovendo um pequeno “choque” e consequente descarga na área do “terceiro olho”.

5º Passo – Costas – Na altura da “ponta do triângulo do Colete” promovemos três toques. Suaves, mas firmes, momento em que efetivamente ocorre a descarga negativa do receptor.

6º Passo – PlexoVolta para o plexo do Doutrinador. Neste momento é que muitos sentem dúvidas: Não estariam “sujando o próprio plexo?” Salve Deus! O que acontece quando uma carga negativa recebe uma positiva? Ela se neutraliza! Simples! Por isso voltamos as mãos para o plexo, neutralizamos a carga retirada e então vamos ao sétimo passo.

7º Descarga – Descarregamos estalando os dedos na lateral do corpo, com as palmas voltadas para trás.

terça-feira, 5 de Junho de 2012

Incorporação


A incorporação é o fenómeno pelo qual uma entidade utiliza um médium em toda sua totalidade, isto é, seu cérebro, sua coordenação motora, sua voz, seus gestos, para se comunicar. Tanto pode ser um Espírito de Luz como uma poderosa entidade das Trevas, um sofredor ou um obsessor. Nos trabalhos do Templo, as incorporações são controladas pela força de IFAN (*), o Cavaleiro Ligeiro.
A energia de incorporação se projeta no plexo solar ou Sol Interior (*) do médium Apará e se escoa pelos chackras umerais (*), onde se aplica o passe magnético para eliminação de resíduos após uma incorporação.
Existe muita discussão em torno da veracidade desse fenómeno, principalmente por parte de pessoas que se dizem doutoras em Bíblia e alegam não ser esta uma manifestação dos santos espíritos.
Como poderíamos interpretar, então, o que descreve Isaías (XX, 2): “Naquele tempo, falou o Senhor por intermédio de Isaías, filho de Amós” e, também, Ezequiel (II, 2): “E o espírito entrou em mim, depois que me falou e me pôs em pé, e ouvi o que ele dizia” senão como puros exemplos de incorporações?
Na nossa Doutrina, o médium de incorporação é o Apará (*), que pode ser consciente ou semiconsciente. É muito difícil, raro mesmo, aquele que é inconsciente.
A faculdade mediúnica é força própria, individual, e cada um a pratica à sua própria maneira, sendo responsável pelos seus atos mediúnicos e sabendo que seu corpo lhe pertence. Nenhum espírito - de Luz ou Inluz - usará o corpo de um médium sem a permissão deste. Mesmo em casos aparentemente sem o conhecimento do médium, uma permissão é dada pelo seu subconsciente, movido pelo amor incondicional, para acontecer a manifestação.
A percepção do médium, sua sensibilidade e seu magnético animal controlam sua incorporação e isso ocorre de forma tão refinada e discreta em alguns casos que é confundida com inconsciência.
A incorporação é acompanhada da vibração do espírito que incorpora, e por ela o Doutrinador sente como deve agir, e caso se trate de um irmão Inluz, como fazer a sua doutrina e o momento preciso de fazer sua elevação.  Da mesma forma que Deus permite as comunicações de espíritos elevados, para nos orientarem e instruir, permite aquelas de  espíritos sem Luz, que procuram nos induzir aos erros e às mentiras, testando nosso amor e nossa confiança na Doutrina. Em muitas ocasiões, nos Tronos, um espírito Inluz incorpora e passa a agir e falar como se fosse um Mentor. O Doutrinador, atento e harmonizado, vai sentir a diferença, e só lhe cabe fazer a elevação daquele espírito.
Na 1a. Epístola de João (IV, 1) nos é dito: “Caríssimos, não creiais a todo espírito, mas examinai se os espíritos são de Deus, porque são muitos os falsos profetas que se levantam no mundo!” Com isso, nos alerta para que, especialmente os Doutrinadores, devidamente mediunizados, possam  estar certos de com quem estão lidando. Por ação de irmãos das Trevas podem ocorrer mistificações, o que geralmente é alheio à vontade ou controle do médium de incorporação. Por isso o Doutrinador deve estar mediunizado e alerta para lidar com espíritos dessa natureza, com caridade e compreendendo que aquele irmão deve ser tratado com muita sinceridade e muito amor, aplicando-lhe uma doutrina equilibrada e emanando paz e compreensão, até sentir o momento preciso para fazer a elevação.
Existem muitos casos de incorporações descontroladas, pois é um fenómeno milenar e poucos os que se preocupam em aprimorar suas faculdades mediúnicas, disciplinando a manifestação dos espíritos.
A maioria de brigas e violências são frutos de incorporações descontroladas, ação de espíritos das Trevas que se manifestam em condições propícias em bares, presídios, festividades e movimentos que envolvem muitas pessoas, descontrolando seus participantes e os envolvendo em sangrentos conflitos, de onde aqueles espíritos sugam o fluido magnético animal que os alimenta e dá força.
O Apará - médium com seu plexo iniciático -, por seu amor, por sua Doutrina, por sua consciência, age de acordo com sua força mediúnica, mas temos que considerar que também é influenciado pelas vibrações do ambiente em que está, com sua percepção captando desequilíbrios da mente do Doutrinador e de outras pessoas presentes, e tudo isso é que lhe dará as condições de sua incorporação. Sabemos que essas condições  variam de momento a momento, e não podem ser aferidas a não ser quando se efetiva a incorporação. O Apará sabe, sente, as nuanças da incorporação. Cabe ao Doutrinador aprender, também, diferenciar entre as comunicações puras, a Voz Direta, ou mesmo os sinais do estado do espírito incorporado, daquelas que expressam apenas o espírito do próprio Apará.
Tia Neiva nos ensinou que o Doutrinador é o único responsável pela interferência numa comunicação de um Apará, pois tem que estar sempre alerta para evitar as mensagens truncadas que possam ser atribuídas a um Preto Velho, gerando sofrimentos e angústias.
Na I Epístola aos Tessalonicenses (V, 20 e 22), Paulo adverte: “Não desprezeis as profecias. Examinai tudo: abraçai o que é bom. Guardai-vos de toda aparência de mal.”  Em nossa Doutrina aprendemos a não confiar nas comunicações (*) até termos a certeza da verdadeira natureza daquele espírito incorporado, e os perigos das previsões (*).
No Trono Milenar podemos exercitar nosso amor, nossa doutrina e nossa sensibilidade aprende a diferença entre as vibrações de um espírito de Luz e as de nossos irmãos das Trevas. Isso é válido tanto para o Apará como para o Doutrinador, para irem sabendo a diferença das incorporações.
Um grande exemplo dessa variação vibratória das incorporações é a de Pai Seta Branca. O Apará, mesmo veterano e equilibrado, precisa passar por uma preparação, que denominamos cultura, para que seu plexo vá se preparando para tornar seu ectoplasma refinado, a fim de receber a poderosa energia, evitando, assim, choques e desequilíbrios decorrentes desta grandeza, tornado-o apto ao trabalho no Oráculo e na Bênção.
Os médiuns Aparás, de 16 aos 18 anos, não podem trabalhar em locais onde haja comunicação (Tronos, Alabá, Angical, etc.).
Para facilitar nosso estudo, fizemos, em separado, observações sobre interferências, obsessor, cobrador, Pretos Velhos, Povo das Águas, Caboclos, etc.

·     “Forçar a incorporação de um médium é virar uma página e limitar a sua lição. A faculdade mediúnica é força própria, individual. Cada um a acumula à sua maneira. O médium que não dá sua própria mensagem é um falso profeta!”  (Tia Neiva, s/d)

·     “Não é justo, filho, depois da incorporação, ficar em dúvida: Será que incorporei? Será que foi o Preto Velho ou o Caboclo? Não foi somente uma impressão minha? Isso é triste para os nossos Mentores, que se apressam para que saia tudo com a precisão do Espírito da Verdade.
Trata-se de um conjunto, de um ritmo de aparência de encantos, de energia.
Não podemos designar este sentimento de amor. É o coroamento das virtudes, é muito mais científico do que pensamos. 
Quando solicitada uma incorporação, uma enorme e complexa força se faz em nós.
Seriam bastantes os cruzamentos destas forças para a cura desobsessiva, quanto mais que sabemos da presença de Caboclos e Pretos Velhos.”  (Tia Neiva, 8.4.79)

Significado espiritual da Rosa

A rosa representa, na Espiritualidade, a força do Amor e a pureza dos sentimentos. Quando mentalizamos alguém em nossos trabalhos, essa pessoa vai receber nossas vibrações como se fossem pétalas de rosas, imagem escolhida para poder descrever o que acontece de forma energética. A rosa é o símbolo da pureza espiritual e dos sacrifícios da vida, pois tem a sua aparência linda, seu perfume suave e... seus espinhos! Tia Neiva sempre tratava as ninfas de forma carinhosa, chamando-as de "minhas rosas".


  Não se esqueça de que os espinhos de cada Rosa que você recebe na vida têm que ser conservados. Cada um deles poderá provocar um pequeno ferimento e do ferimento brotar uma gota de Sangue... É o Sangue que corre nas veias, o sangue da Vida, que chama a atenção para o despertar do eu interior e da consciência para a Vida e pelo Criador. Tenha uma boa jornada pelos trieiros terrestres...

segunda-feira, 16 de Janeiro de 2012

Mesa Evangélica - Faróis (carta da Tia Neiva)

CARTA DE TIA = MESA EVAGÉLICA - FARÓIS

Os faróis são luzes, que indicam o caminho seguro para DEUS, para os espíritos que se encontram perdidos em sofrimentos.




Os faróis são os sinaleiros que estão sempre com a luz verde acesa, convidando aqueles que sofrem a chegar, para que possam receber o tratamento, o alimento espiritual que é a Doutrina de JESUS e o encaminhamento para um albergue de Luz, uma casa transitória, através da elevação do Doutrinador.

  • O farol da mesa evangélica, durante todo tempo que ali estiver, deverá estar com a mente em JESUS, dando a oportunidade, para aqueles irmãos carentes de luz e de amor, de chegarem e serem socorridos pelos Doutrinadores e pelos mentores da mesa.
  • O farol não deve se preocupar em atender o Apará que tenha incorporado próximo a ele, porque está só, essa não é sua função.
  • O farol deve enviar a todos os espíritos que estão chegando ou que já se encontram na mesa, pensamentos de paz, de harmonia e de amor. Faça o mantra universal para esses espíritos mas, mantenha-se no seu posto, sem preferências. Um farol é um sinal geral para muitos.
  • Um espírito sofredor volta várias vezes à casa do Pai Seta Branca, até se conscientizar e realmente aceitar o caminho para a regeneração espiritual (evolução).
  • Quando o sofredor chega no trono ou mesmo na mesa e encontra o Doutrinador que sempre é farol, ele, o sofredor, não oferece resistência nem dificuldades, porque respeita aquela Luz que o trouxe até ali num outro dia, respeita porque reconhece o Doutrinador pelo ectoplasma.
  • Mesmo quando não está havendo o fenômeno da incorporação na mesa, durante parte do intercâmbio ou mesmo no trabalho de defumação, os espíritos sofredores estão chegando na mesa atraídos pela Luz que emana dos faróis.
  • Ao sentar no farol, o Doutrinador deve procurar se lembrar, que naquele exato momento, também os seus mentores estão chegando para trabalhar na cura desobcessiva. Tia Neiva
    Vale do Amanhecer, 23/05/81
  • segunda-feira, 10 de Outubro de 2011

    Prece das 12h, 15h, 20h

    Em três momentos, durante o dia – às 12, às 15 e às 20 horas – entramos em sintonia com o Oráculo de Simiromba. É a Hora do Jaguar, nas quais trabalhamos para nós mesmos, emitindo o que o plexo físico gera. Onde estiver, o Jaguar mentaliza o que quiser, o que precisar. A energia gerada naquele instante, alcança aquela pessoa mentalizada, e é levada aos Himalaias. A prece “O Senhor tem o seu templo em meu íntimo! Nenhum poder é demasiado ao poder dinâmico do meu espírito. O amor e a chama branca da vida residem em mim! Salve Deus!” é uma chave. Pode, dependendo das condições do momento, ser complementada por outra prece. Mas é preciso que seja feita com muito amor.

    Elitrios

    Elítrios

    ...porém, eu vejo um elítrio como uma cabeça de macaco preto, com mais ou menos 10 centímetros, com as mãozinhas e os pés pregados à cabeça, com a espessura de uma espuma de nylon.

    Quando uma mulher se transforma em elítrio, sua cor, em vez de preta, é marrom.

    Sim, são causadores do câncer!... Jesus vai ainda mandar um cientista para proteger o corpo físico do elítrio cancerígeno.

    Meu  Deus! O que será desses espíritos que esperam a vingança? Vingar-se para depois voltar para Deus! Vingar-se pelo câncer!

    O Homem da Terra está bem evoluído e quando souber amar realmente, ele mesmo poderá expelir seus próprios elítrios...

    O espírito, ao partir para o sono cultural, escolhe seus reajustes e leva seus elítrios junto para o ventre materno.

    Pela bênção de Deus, amando podemos retificar o mal que provocamos. Os elítrios são nossas vitimas do passado, Homens que não tiveram condições de perdoar nem oportunidade de amar.

    Por isso, vêm na carne do Homem para se vingar.

    Porém, se tiverem a felicidade de encontrar o carinho de uma mãe para com o filho, se sentindo instrumento da dor daquela mãe - ou daquele pai, ficam sensibilizados e voltam para Deus.

    Deus confia no amor da mãe e no amor do pai!

    É por isso que um espírito reencarna levando até sete elítrios!

    Por isso, cada gestação é diferente da outra.” (Tia Neiva, s/d)